Rio de Janeiro, Afeganistão e o cuidado afetivo de experiências traumáticas!

Esses dias…, (muitos dias) eu estava conversando com colegas sobre como podemos criar mecanismos para lidar com as situações de violência que atravessam o trabalho em saúde.

Ultimamente (cotidianamente, cronicamente, armadamente), no Rio, a população tem se visto de novo diante da intensificação de situações de guerra… que se misturam com situações de vulnerabilidade econômica e social.

O cenário atual da saúde por aqui conta com serviços inseridos nesses territórios atendendo a população que sofre com a violência armada.

Enquanto a sensação de impotência quase tomava conta da roda de conversa em grupo buscando criar ações para ao mesmo tempo proteger as equipes inseridas nesses espaços, bem como o seu mandato de cuidar da saúde de populações vulneráveis, eu me lembrei de um vídeo que eu tinha visto a um certo tempo no Tedtalks (meu vício).

Esse vídeo traz a experiência de uma psicóloga Junguiana que trabalhou em situação semelhante no Afeganistão. Ela conta como seu grupo estabeleceu conecções afetivas fortalecedoras considerando que a fala e a escuta de sobreviventes no Afeganistão, em situações bem parecidas com as que vivemos hoje aqui no Rio, podem ser cuidadas.

Vale a pena dar uma olhadinha no vídeo e também  cuidar disso…

obs: pra quem não estiver visualizando a legenda em português, dá pra selecionar ! é só clicar quadradinho do canto direito do vídeo.

Veja, ouça e comente.

Obrigada pela leitura!

Karen

Anúncios

Dia Mundial da Saúde Mental #WMHD

Hoje é dia mundial da saúde mental! Quem nunca sofreu, se sentiu angustiado ou teve medo?! A campanha é pela dignidade e equidade no cuidado. Não ao estigma e preconceito p.f.v.. Estresse, angústia, sentimentos sombrios podem acontecer com qualquer pessoa. A campanha é pela inclusão dessa escuta e acolhimento.

Leia o artigo escrito pelo presidente da Campanha:

http://www.huffingtonpost.com/entry/world-mental-health-day-monday-10th-october-2016_us_57fa5fa0e4b0d786aa52b5c6

 

Perceptions of health managers and professionals about mental health and primary care integration in Rio de Janeiro: a mixed methods study

Escrevi este artigo sobre a percepção dos profissionais e gestores de saúde sobre a integração entre saúde mental e atenção primária na cidade do Rio de Janeiro.

Trata-se de um estudo quali-quanti realizado no inicio do processo de implementação de práticas de trabalho colaborativas chamadas de matriciamento.

Segue o link

https://bmchealthservres.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12913-016-1740-8

Obrigada pela visita!

Karen