Eu escolhi você!

Os opostos se atraem? Sim não? Quando? Como as alianças invisíveis dos relacionamentos hoje se constroem fisicamente, quimicamente, racionalmente?

Como a atração entre duas pessoas acontece?

Em uma conversa de bar, nas festinhas de final de ano, um amigão cita com entusiasmo um artigo publicado na Nature sobre a influencia do HLA nas parcerias humanas e satisfação sexual. Neste, a ideia principal é a de que os opostos se atraem.

O estudo trazia um pouco mais do que isso… por exemplo: a importância do odor nessa busca instintiva, incluindo o desejo de procriar. É legal! Vale a pena ler e observar como a ciência pode ajudar na demonstração de que essa “história” é ainda um mistério.

Compartilhei aqui também outra referência que essa semana me botou pra pensar em “como”, “quando” e “por quê” se escolhe um par.

Clarice Falcão, que não é cientista, dá uma resposta engraçada. (se você for menor de 18 anos ou se incomodar em ver cenas de nu não clique no vídeo)

Resumindo, a conversa me levou da “origem” descrita nos textos bíblicos, incluindo de fotos que remetem ao paraíso e tentação ao proibido, aos tempos de youtube, redes sociais e escolhas feitas sem cheiro.

Feliz Natal e obrigada pela visita e leitura!

Karen

Referências:

Como o seu corpo escolhe o seu parceiro sexual sem que você perceba? BBC Brasil

Influence of HLA on human partnership and sexual satisfaction ( Nature, 2016)

Pesquisa sobre Psicologia e Saúde na formação do psicólogo

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) divulga mais um artigo publicado na edição 36.2 da Revista Psicologia: Ciência e Profissão, publicada recentemente na plataforma da SciELO. O texto desta semana é Psicologia e a Formação para a Saúde: Experiências Formativas e Transformações Curriculares em Debate. Toda semana, o Conselho publicará um artigo do periódico em seu site…

via Psicologia e a Formação para a Saúde é tema de artigo da Ciência e Profissão — CFP

Pokémon Go and the politics of digital gaming in public — Discover

“Airbnb owns no properties; Uber owns no cars; Pokémon Go is just some markers on a map. The politics is someone else’s problem.” A critique on Pokémon Go, the nonconsensual use of public and private space, and the flânerie of today’s augmented reality game players.

via Pokémon Go and the politics of digital gaming in public — Discover

Pensando a Rede de Saúde Mental usando casos reais

Minha amiga e parceira de trabalho em pesquisa Alice Menezes me pediu pra ajudar a encontrar material de discussão sobre a Rede de Saúde Mental.

A partir das experiências que tive nos últimos anos como gestora, em atividades de educação permanente, clínica e pesquisa em processos de integração de trabalho não vejo melhor caminho do que usar a experiência de grupos de trabalho em saúde que lidam com as necessidades do público do SUS bem a leitura dos próprios usuários.

A fim de colaborar compartilho atividade realizada nas pós graduações onde tenho lecionado de gestão da Saúde da Família e na Residência Multiprofissional em saúde mental nos últimos meses.

Nessas atividades educacionais, inspirada na avaliação da integração da saúde mental e atenção primária em conclusão pelo meu trabalho de doutorado, desenvolvi um crivo com alguns componentes estudados como : acesso, porta de entrada, relação de confiança e problemas psicossociais para serem abordados considerando o lugar de profissional de saúde e a expectativa do usuário.

Cada um desses componentes foi visto em cada um desses casos reais compartilhados na Comunidade de Práticas da Atenção Básica e que foram produzidos para a IV Mostra Nacional de Experiências de Saúde da Família.

Através da atividade coletiva de trabalho linkada aqui ( clique no aqui :)), os casos abaixo foram analisados em grupo:

  1. Grupo de mulheres, Chá das superpoderosas
    https://novo.atencaobasica.org.br/relato/4239

2. Maternidade Assistida de pacientes com problemas graves de saúde mental https://novo.atencaobasica.org.br/relato/560

3. Atendimento conjunto de paciente vivendo em situação de isolamento Quando a compaixão supera o medo

https://novo.atencaobasica.org.br/relato/2506

4. E Jornal Folha de Lírio espaço virtual criado por um usuário do CAPS. https://novo.atencaobasica.org.br/relato/2380

A intenção da atividade é poder repensar a distância entre o jargões usados pelos trabalhadores de saúde e os seus sentidos, bem como indicar mais claramente e de que modo as diferenças entre as profissões e lugares institucionais envolvidos. Neste sentido a intenção é a de favorecer o alinhamento conceitual para funcionar em conjunto visando o benefício de quem usa a rede de cuidados em saúde.

Obrigada pela leitura! E espero que possa ser de bom proveito.

ps: gosto muito de usar essa figura pra pensar redes pois ela lembra que existem diferentes formas de se trabalhar o design institucional usando a mesma palavra. Por isso a importância de se entender de que rede se trata.

 

Entrevista Motivacional no Cuidado em Saúde

O artigo que motivou este post foi um estudo publicado na semana passada sobre essa técnica para atividade de educação permanente e interprofissional.

Trata-se de um estudo de 10 anos que verifica o quanto essa técnica, com metodologia simples e dialógica, pode facilitar as atuações entre profissionais no trabalho colaborativo, bem como entre profissionais de saúde e pacientes, empoderando, pactuando e valorizando as diferenças a fim de motivar ações em saúde.

O estudo ainda aponta um melhora na coordenação de ações entre multiprofissões para o trabalho em saúde.

No Brasil trata-se de uma técnica que se usa em diferentes ações de saúde mental e atenção primária com interesse na adesão de cuidados e da necessidade de mudança de comportamentos relacionados ao uso de medicações, uso abusivo de drogas, mudança de comportamento com possibilidade de recaída.

Encontrei dois vídeos em português que podem ajudar a quem tiver interesse em avançar na compreensão da técnica em questão:

O segundo video aponta os desafios da entrevista motivacional diante do paciente. O video é em português de Portugal e traz exemplos diferentes de abordagem de situações onde a intenção é a de motivar a reflexão para a introdução de comportamentos participativos:

Também fiz uma rápida busca em lingua estrangeira e achei um site interessante onde alguns profissionais com experiência nessa área falam de como vivem e pensam usando essa técnica de cuidado de um modo mais abrangente.

site: http://www.motivationalinterviewing.org

Obrigada pela leitura!

Referências:

Results From 10 Years of Interprofessional Training on Motivational Interviewing

A técnica da entrevista motivacional na adolescência

Revisão de literatura sobre a aplicação da entrevista motivacional breve em usuários nocivos e dependentes de álcool