O que é Cuidado Emocional?

“estou procurando, estou procurando. Estou tentando entender. Tentando dar a alguém o que vivi e não sei a quem, mas não quero ficar com o que vivi. Não sei o que fazer do que vivi, tenho medo dessa desorganização profunda. Não confio no que me aconteceu. Aconteceu-me alguma coisa que eu, pelo fato de não a saber como viver, vivi uma outra? A isso quereria chamar desorganização, e teria a segurança de me aventurar, porque saberia depois para onde voltar: para a organização anterior. A isso prefiro chamar desorganização pois não quero me confirmar no que vivi – na confirmação de mim eu perderia o mundo como eu o tinha, e sei que não tenho capacidade para outro.”C.L. A paixão segundo GH

Como abrir um texto um site ou um blog?
Como nomear um texto um site ou um blog?

A leitura dos textos da Clarice Lispector quando abrem sempre abrem mais do que a página, abrem também os olhos, os ouvidos, o olfato e o tato. Um texto que abre sensações as vezes mais claras às vezes sem perceber…

Até aqui na elaboração deste espaço eu sabia de alguma coisa, agora é certo que eu sei que eu não sei alguma coisa disso que vou tentar descrever aqui, e é por isso que eu estou o criando. A perspectiva de cuidar e das palavras em torno desse ato sei que mobilizam a mim e a muito colegas profissionais de saúde. Amamos cuidar! Por que não sei, só sei que é assim.

Sabemos que o cuidado prescinde de um outro ser ou coisa e aquilo que nos mobiliza para este ato são os afetos.

A palavra cuidado parece que vem de uma outra o latim cogitar/ cogito penso, mas isso apenas não combina com a coisa CUIDAR. Embora para isso seja preciso um saber consciente e responsável. Pergunto pra palavra!

Cuidado emocional é quase uma dupla de palavras simples e corriqueira no exercício da psicologia e saúde mental. Mas do que se trata exatamente? Como e quando usá-la e mais como sentimos esse cuidado?

Como é possível cuidar das emoções?

Ser psicólogo traz esse duo, que aqui vou sistematicamente tentar juntar: as emoções e razão; mente e corpo, cabeça e coração, como dizem por aí…

Na experiência com o cuidado em saúde, na perspectiva de um cuidado integral essas duplas se misturam em favor do cuidado centrado na pesssoa.

Assim, o assunto cuidado emocional pode ser tão simples, quando sentido, e tão complexo, quando se pretende explicá-lo. Diferentes nuances e perspectivas para a mesma expressão podem estar associadas a diferentes campos de atuação humana que envolvem: o auto-cuidado, saúde, trabalho e relações de um modo geral.

A construção desse espaço virtual parte de algumas questões que vem orientando o meu percurso profissional sobre o cuidado emocional e que envolvem a ideia de relação de confiança, vulnerabilidade mas sobretudo como se constrói o uma relação de cuidado de um corpo que sente e vibra.

Quando você se deixa que o cuidado aconteça?
Quando você faz o cuidado acontecer?
O que pode promover a uma relação entre pares onde o cuidado surge?

Essas são algumas perguntas que norteiam as publicações sobre o cuidado por aqui. Sem resposta pronta para a definição do cuidado emocional como categoria de pensamento, mesmo buscando nas bases de dados on-line mais tradicionais, a questão do cuidado prescinde de algo humano e relacional onde o afeto, até agora o que eu tenho visto, estudado e vivido na clínica do cuidado, realiza conexões.

Anúncios