Matriciamento em Saúde Mental na Atenção Primária

Dois anos atrás fiz uma revisão crítica de artigos escritos em língua portuguesa sobre os processo de integração e cuidado de saúde mental e atenção primária. Abaixo o link:

https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/536/530

A revisão apontou para 3 diferentes modos de olhar a integração dos processos de trabalho.

O primeiro é o olhar do profissional de saúde mental que é atravessado pela história da psiquiatria e da reforma psiquiátrica brasileira.

O segundo é o olhar do não especialista trabalhando em serviços de atenção primária localizados nas comunidades. Esse olhar apresenta problemas que batem a sua porta e buscam respostas para favorecer esse cuidado.

E o terceiro olhar é o dos profissionais que vivem essa integração na prática de matriciamento.

O que será que mudou depois de dois anos de publicação realizada; 8 da publicação da Portaria que inclui no SUS a ideia do trabalho em colaboração e de 6 anos de novas publicações e experiências?